21 de dezembro de 2016 às 06h31 atualizada em21 de dezembro de 2016 às 15h00

Primeiro encontro do Núcleo de Pesquisa encerra atividades do Instituto Curupira em 2016

Agenda 2017 prevê pesquisas e debates

Da Redação

O último fim de semana foi movimentado para o Instituto Curupira. Com o primeiro encontro do Sophia: Núcleo de Pesquisa em Ecologia Holística e a vivência artística “Entre rosas e bombas”, a instituição encerrou a agenda de 2016 de forma crítica, construtiva e com grande esperança para 2017.

O Sophia debateu e discutiu, em seu primeiro encontro, temas fundamentais da ecologia holística, além do perfil histórico da ciência moderna e das heranças da astronomia para a maneira como compreendemos o mundo atual. Entre rosas e bombas, por sua vez, abordou temas complexos e de importante discussão, como a violência contra a mulher, o preconceito em geral e o panorama político nacional e internacional.

Delton Mendes, diretor internacional da instituição, e orientador científico do Sophia, falou um pouco sobre a importância de 2016 para o Curupira:: “(...) foi um ano de muito crescimento para o Instituto Curupira. Potencializamos nossa atuação eco cultural em Barbacena e região, com espetáculos, shows e atividades artísticas produzidos por nossos membros e também por outros artistas. Tivemos dois marcos para a cidade, que foram a 3ª edição do Festival de Música Popular Livre e a edição 2016 do Festival Nacional de Teatro, eventos que tiveram a presença de mais de 10 mil pessoas. Além disso, mantivemos nossos núcleos em Campinas/SP e em Woburn, Massachussets/EUA, encerrando, ainda, nossas pesquisas e vivências no norte de Minas Gerais, com tribo indígena. Foi um ano de muito sucesso e luta para nós, em nível ambiental, social e eco cultural, apesar do panorama político de nosso país e do mundo.”

Para 2017 o Instituto Curupira já está com a agenda repleta de trabalho: pesquisas de campo nas áreas de ecologia e meio ambiente, parcerias, produções culturais, cursos e atividades de construção crítica via debate, como as rodas de discussão que a instituição sempre promove (Ciclo de Debate).