22 de dezembro de 2016 às 06h48

Articulador cultural de Barbacena é reconduzido a Conselho Estadual

Fred Furtado continua no Conselho por mais dois anos

Da Redação

Uma eleição marcada pela democratização na participação popular e pelo recorde de votação. Assim foi o processo eleitoral para a composição do Conselho Estadual de Política Cultural (Consec) para o biênio 2017-2018. Sabendo da importância desse espaço de reflexão sobre políticas públicas da cultura, a sociedade correspondeu às expectativas e participou ativamente da eleição. Ao todo, 4.269 cidadãos – número recorde desde a criação do Consec – oriundos de 212 municípios mineiros escolheram representantes para os 14 segmentos culturais. Destaque para a recondução de Frederico Furtado, de Barbacena, no segmento Música.

A renovação de 64% entre os titulares da sociedade civil e a imensa participação dos cidadãos no segmento de cultura afro-brasileira – a mais expressiva, que contabilizou 911 votos - também foram fatores de destaque da eleição, totalmente feita pela internet. O resultado foi divulgado na 19ª reunião do Conselho, realizada na segunda-feira (19).

Outro ganho para o próximo biênio foram as novas cadeiras dos segmentos de cultura indígena e cultura afro-brasileira. O setor da dança também passa a ter um assento específico – anteriormente dividia a cadeira com o segmento do circo.

Não foi necessário ter CNPJ para se candidatar à eleição – outra inovação demandada há tempos pela sociedade. Integrantes de coletivos culturais puderam se inscrever, o que ajudou a ampliar a diversidade do colegiado. 

Os eleitos

 

(*) candidatos reconduzidos, conforme estabelece a legislação.

Votação por segmento

 

Saiba mais sobre o Consec

O órgão colegiado de caráter consultivo, propositivo, deliberativo e de assessoramento superior da Secretaria de Estado de Cultura (SEC), auxilia na criação de condições para que todos os mineiros exerçam seus direitos culturais e tenham acesso aos bens culturais. Devido à sua composição paritária, o Consec atua como uma instância da sociedade civil junto ao poder público.

Compete ao conselho: acompanhar a elaboração e a execução do Plano Estadual de Cultura; manter instâncias de discussão com as associações representativas de artistas e produtores culturais; contribuir para a integração entre os órgãos públicos e entidades do setor cultural; manifestar-se sobre programas regionais de incentivo, gestão de acervos culturais, entre outros.